Dengue: cuidados


Diagnóstico precoce e hidratação são fundamentais para evitar mortes pela doença


Diagnóstico precoce e hidratação são fundamentais para evitar mortes pela doençaDiagnóstico precoce e hidratação são fundamentais para evitar mortes pela doençaSão Paulo, 15 de abril de 2015

A doença por dengue apresenta desde quadros leves, com sintomas semelhantes aos de diversas viroses, até quadros graves que evoluem para óbito. Em momentos de endemia e epidemia, como o que estamos vivendo em diversos municípios do estado de São Paulo, bem como de outros estados da União, os profissionais da saúde devem estar alerta para o diagnóstico clínico. O tratamento oportuno pode ser a diferença entre a vida e a morte do paciente. E os recursos necessários são os mais básicos possíveis: simplesmente manter o paciente hidratado é um deles.

Na forma clássica, os sintomas mais frequentes são a febre abrupta e geralmente alta (39°C a 40°C), associada a cefaleia, mialgias, artralgias e dor retro-orbital. Anorexia, náuseas, vômitos e diarreias também podem estar presentes em cerca de 50% dos casos.

Sinais de alarme podem aparecer entre o terceiro e o sétimo dia do início dos sintomas, e constituem em: vômitos importantes e frequentes, dor abdominal intensa e contínua, hepatomegalia dolorosa, desconforto respiratório, sonolência ou irritabilidade excessiva, hipotermia, sangramento de mucosas, diminuição da sudorese e derrames cavitários (pleural, pericárdico, ascite). Esses sinais indicam choque. Intervenções nessa fase são de extrema importância e melhoram o prognóstico.

Dessa forma, é sempre oportuno alertar aos profissionais de saúde para que estejam atentos ao cenário epidemiológico do seu município em relação à dengue. Em tempos de grande progressão de casos, sinais clássicos de viroses podem ser da dengue.

Farmacêuticos contra a dengue

O Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo está fazendo sua parte no combate à doença, reforçando ao farmacêutico a necessidade de estar atento aos sintomas de seus pacientes e, para isso, lançou a campanha “Farmacêuticos contra a dengue”.

O farmacêutico pode contribuir na campanha das seguintes formas: orientando seus pacientes, ministrando palestras para a comunidade (escolas, igrejas, associações, etc.) e visitando estabelecimentos comerciais de sua região para orientar as equipes que trabalham nesses locais.

Para isso, o CRF-SP disponibiliza ao farmacêutico uma capacitação, um protocolo sobre a dengue, folder para distribuição aos pacientes e um cartaz para afixação no estabelecimento, demonstrando a adesão à campanha.

A relação dos estabelecimentos participantes consta no site www.farmaceuticosp.com.br/dengue.

O portal também tem uma área específica onde estão inseridos o protocolo, folder para download e notícias sobre o tema.

O farmacêutico que deseja participar da campanha pode entrar em contato com o CRF-SP pelo e-mail secol@crfsp.org.br, telefone (11) 3067-1483 ou por meio da seccional mais próxima.

 

Assessoria de Comunicação (Fonte:Secretaria de Estado da Saúde)

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS