Inscrições para curso gratuito sobre promoção do uso racional de medicamentos na Atenção Básica estão abertas

 

São Paulo, 22 de maio de 2019

Profissionais de saúde e demais interessados em aprofundar os conhecimentos referentes ao uso racional de medicamentos já podem se matricular na segunda oferta do curso da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), instituição integrante da Rede UNA-SUS.

Com carga horária de 30h, o curso é livre, totalmente gratuito e tem início imediato. As matrículas podem ser realizadas até 30 de novembro de 2019, pelo link.

Desenvolvido em parceria com o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e do Departamento de Atenção Básica (DAB), da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS), a qualificação trabalha habilidades, por meio de ferramentas e conceitos que auxiliam nas escolhas racionais para a prescrição de medicamentos na Atenção Básica, bem como a aplicabilidade destas na rotina de trabalho.

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS) há uso racional de medicamentos quando pacientes recebem os remédios apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas as suas necessidades individuais, por um período adequado e ao menor custo para si e para a comunidade.

No entanto, segundo trabalho de pesquisa apresentado em 2014 pela Especialista em Tecnologias Industriais Farmacêuticas pela Fiocruz, Ana Leda Ribeiro da Rocha, a realidade brasileira é bastante diferente. Pelo menos 35% dos medicamentos adquiridos no país são comprados por automedicação. Os medicamentos são responsáveis por 27% das intoxicações no Brasil, e 16% dos casos de morte por intoxicações são causados por medicamentos. Além disso, 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou usados inadequadamente, e os hospitais gastam de 15 a 20% de seus orçamentos para resolver as complicações causadas pelo mau uso desses medicamentos.

A proposta de alívio imediato do sofrimento é um apelo bastante atraente, mas tem um preço que não se restringe a questões econômicas, podendo acarretar em outros problemas de saúde ao próprio paciente.

Dividido em três unidades, o curso prepara o profissional de saúde para que realize o diagnóstico adequadamente e prescreva o tratamento correto, observando as reais necessidades do usuário. Também discute temas referentes à organização do serviço, para que o paciente tenha acesso ao medicamento em quantidade suficiente e em tempo oportuno, além de promover a adesão ao tratamento, avaliar e monitorar a resposta terapêutica ou para qualquer problema relacionado aos medicamentos utilizados.

Por fim, cabe destacar que a promoção do uso racional de medicamentos, deve contar com a participação de diversos atores sociais: pacientes, profissionais de saúde, legisladores, formuladores de políticas públicas, indústria, comércio, governo.

 

Departamento de Comunicação CRF-SP (Fonte: Ministério da Saúde)

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS