Deputado estadual Ed Thomas apresenta moção contra a venda de medicamentos em supermercados

O deputado estadual por São Paulo e radialista Ed ThomasO deputado estadual por São Paulo e radialista Ed Thomas

São Paulo, 6 de dezembro de 2018.

O trabalho realizado no âmbito parlamentar para tentar impedir a aprovação do Projeto de Lei nº 9.482/2017, que autoriza a venda de medicamentos isentos de prescrição em supermercados e estabelecimentos similares, ganhou um importante aliado com o requerimento junto à Assembleia Legislativa de São Paulo da moção de nº 67/2018, de autoria do deputado estadual Ed Thomas.

O documento faz um apelo ao presidente da Câmara dos Deputados “a não aprovação do Projeto de lei nº 9482, de 2018, por considerar um risco à saúde pública do país a dispensação de Medicamentos Isentos de Prescrição (MIP) em supermercados e congêneres sem a orientação de um farmacêutico, facilitando a automedicação irracional e sem a conscientização dos riscos, podendo levar a intoxicação por medicamentos e até a morte ”.

Reeleito para o quinto mandato, Ed Thomas também é radialista na região do Oeste Paulista. “Em 35 anos como apresentador de rádio, fiz muitos alertas sobre acidentes com intoxicação como é o caso do que pode ocorrer com medicamentos. Por isso, foi assustador saber da existência de um projeto que autoriza supermercados a venderem esses produtos”, declarou o parlamentar.

A ideia de apresentar a moção surgiu depois que o deputado foi procurado pelo CRF-SP, representado pela Dra. Rosilene Martins, delegada regional da Seccional de Presidente Prudente, que solicitou apoio junto à Assembleia. “Pensei em requerer a moção para que o Congresso soubesse que na Assembleia Legislativa de São Paulo tem deputados que não concordam com esse PL. Eles não podem votar algo sem ouvir São Paulo. A expectativa é que nossa voz se some aos outros deputados que estarão juntos para proteger a saúde da população”, afirmou o deputado estadual.

No supermercado, apenas alimentos

O deputado Ed Thomas elogiou os esforços do CRF-SP para tentar coibir a aprovação do PL 9.482/17. “Essa vigilância do Conselho é grandiosa porque não é só pelo farmacêutico, nem pelo medicamento ou pelo proprietário da farmácia: é muito mais do que isso, o mais importante é a população que precisa ser cuidada, sem abrir mão de um bom profissional para orientá-la com um olhar humano, porque na farmácia tem humanização. Já no supermercado, é somente alimentação. ”

A moção 67/2018 foi publicada no Diário Oficial do Estado e foi encaminhada à Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa para, então, seguir para a votação.

Clique aquiClique aqui para ver na íntegra a moção 67/2018 (acesse o caderno Legislativo, página 8)

 

Renata Gonçalez

Departamento de Comunicação CRF-SP

 

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS