Revista do Farmacêutico 112 - Homeopatia

rf106_cabecalho
PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 112 - JUL-AGO  / 2013

Revista 112 setinha Homeopatia


Homeopatia em alto nível

 Foto: Latinstock

IX Congresso Brasileiro de Farmácia Homeopática acontecerá dentro do XVII Congresso Paulista de Farmacêuticos


Por utilizar medicamentos em altas diluições, nas quais, com frequência, não há mais moléculas, a homeopatia, mesmo em pleno século XXI, ainda é alvo de questionamentos por pura falta de informação. Criada por Samuel Hahnemann em 1796, a homeopatia foi introduzida no Brasil em 1840 e, embora seja uma especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina desde 1980, com eficácia cientificamente comprovada, aplicações diversas e oferecida no sistema público de saúde, ainda traz certo desconforto para parte dos cientistas e opinião pública, especialmente dos céticos. Como disse o filósofo francês Voltaire, “O preconceito é uma opinião não submetida à razão”.  

 

Para debater esse e outros temas relacionados à homeopatia, como as pesquisas, a atenção farmacêutica, o futuro da área, os requisitos para assumir a responsabilidade técnica, o risco sanitário do medicamento homeopático, além da aplicabilidade desses medicamentos na medicina veterinária e agronomia, o XVII Congresso Paulista de Farmacêuticos, de 5 a 8 de outubro, na capital, recebe um dos eventos de grande importância para o setor: o IX Congresso Brasileiro de Farmácia Homeopática, realizado pela Associação Brasileira de Farmácia Homeopática (ABFH)

O encontro promete trazer uma discussão em alto nível com profissionais renomados no Brasil e no mundo, como é o caso da palestra “Pesquisa em homeopatia”, com o austríaco Stephan Baumgarten. De acordo com a dra. Amarilys de Toledo César, vice-coordenadora da Comissão Assessora de Homeopatia do CRF-SP, existem algumas pesquisas clínicas de qualidade, realizadas com metodologia científica do tipo duplo ou triplo cego e randomizadas, que demonstram a ação das ultradiluições. “Se já é difícil fazer pesquisa de qualidade em qualquer área clínica ou experimental, em homeopatia é ainda mais, por causa dos preconceitos que permeiam os órgãos financiadores e que julgam os méritos para aprovar projetos. O Brasil tem pesquisadores competentes, apesar das dificuldades, com titulação acadêmica, produzindo trabalhos clínicos médicos, odontológicos e veterinários, assim como trabalhos experimentais na área farmacêutica e alguns na área agronômica.” 

 Ao farmacêutico, a homeopatia oferece uma ampla gama de atuação, já que lida com medicamentos originários dos reinos vegetal, animal e mineral. Os requisitos fundamentais ao profissional que pretende assumir a responsabilidade técnica também serão debatidos com os participantes. Dra. Amarilys, que acaba de assumir a Secretaria de Farmácia da Liga Médica Homeopática Internacional, o que demonstra a ascensão brasileira na área, ressalta que todo conhecimento é bem-vindo. Na farmácia, o farmacêutico deve atender os pacientes, esclarecer, orientar e informar sobre homeopatia, além de dominar a farmacotécnica homeopática. “Precisa ser curioso, estudioso, gostar de atender e auxiliar pessoas. Precisa ter cursado a disciplina de homeopatia, além de possuir um estágio na área. Outra possibilidade é fazer um curso de especialização ou ainda ser aprovado em prova de título de especialista em homeopatia.”

 Se a área está em crescimento e o farmacêutico tem pela frente um vasto caminho a percorrer na homeopatia, especialmente no Brasil, que, de acordo com a dra. Amarilys de Toledo, é o país que mais reúne mais farmacêuticos homeopatas no mundo, o momento é de buscar especialização e se aprofundar no conhecimento. A Comissão Assessora de Homeopatia do CRF-SP tem trabalhado na realização de palestras, cursos, além de elaboração de propostas de resolução. 

Homeopatia na veterinária e agronomia

Na medicina veterinária, de acordo com os especialistas, a homeopatia está bem estabelecida há muito tempo. Segundo o dr. Daniel Magano, coordenador da Comissão Assessora de Homeopatia do CRF-SP, na agronomia a utilização de substâncias dinamizadas também não é nova. “A agricultura biodinâmica, que aplica alguns preparados dinamizados, surgiu nas primeiras décadas do século passado. Várias pesquisas que demonstraram a atividade de substâncias ultradiluídas utilizaram sistemas vegetais.” Dr. Daniel ressalta que isto, certamente, interessou muitos agricultores que buscam alternativas ou complementos às práticas agrícolas convencionais. “Como farmacêuticos homeopatas, interessa, sobretudo, a pergunta: como nós, que dominamos profundamente a preparação homeopática das substâncias, podemos contribuir e participar deste movimento? E como somos extremamente sujeitos e suscetíveis à regulamentação, como fazer isto sem termos problemas com a fiscalização?” Essas e outras questões serão debatidas durante a palestra sobre o tema no Congresso.

 

homeopatia_tabela

Mais informações sobre Homeopatia na página da comissão

Thais Noronha