Recomendações ao farmacêutico que atua em locais com atendimento ao público

 

São Paulo, 17 de março de 2020.

Considerando a Pandemia de Coronavírus – Covid-19 e a responsabilidade social do CRF-SP com os profissionais e com a sociedade, seguem informações para auxiliar no autocuidado e no cuidado dos demais colaboradores do estabelecimento e do público em geral.

Em primeiro lugar é imprescindível que neste momento todos ajam de forma a evitar a disseminação do vírus.

Recomendações importantes:

1 - Uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)

a) Máscaras

De acordo com a OPAS/OMS (https://bit.ly/38YEwez), o uso de máscaras cirúrgicas é recomendado para:

• Pessoas com sintomas respiratórios, como tosse ou dificuldade de respirar, inclusive ao procurar atendimento médico
• Profissionais de saúde e pessoas que prestam atendimento a indivíduos com sintomas respiratórios
• Profissionais de saúde, ao entrar em uma sala com pacientes ou tratar um indivíduo com sintomas respiratórios

O uso de máscaras não é necessário para pessoas que não apresentem sintomas respiratórios. No entanto, máscaras podem ser usadas em alguns países de acordo com os hábitos culturais locais.

As pessoas que usarem máscaras devem seguir as boas práticas de uso, remoção e descarte, assim como higienizar adequadamente as mãos antes e após a remoção. Devem também lembrar que o uso de máscaras deve ser sempre combinado com as outras medidas de proteção (veja a pergunta “O que posso fazer para me proteger e evitar transmitir para outras pessoas? ”).

Como colocar, usar, tirar e descartar uma máscara:

 Lembre-se de que uma máscara deve ser usada apenas por profissionais de saúde, cuidadores e indivíduos com sintomas respiratórios, como febre e tosse.
 Antes de tocar na máscara, limpe as mãos com um higienizador à base de álcool ou água e sabão
 Pegue a máscara e verifique se está rasgada ou com buracos.
 Oriente qual lado é o lado superior (onde está a tira de metal).
 Assegure-se que o lado correto da máscara está voltado para fora.
 Coloque a máscara no seu rosto. Aperte a tira de metal ou a borda rígida da máscara para que ela se adapte ao formato do seu nariz.
 Puxe a parte inferior da máscara para que ela cubra sua boca e seu queixo.
 Após o uso, retire a máscara; remova as presilhas elásticas por trás das orelhas, mantendo a máscara afastada do rosto e das roupas, para evitar tocar nas superfícies potencialmente contaminadas da máscara.
 Higienize as mãos depois de tocar ou descartar a máscara – use um higienizador de mãos à base de álcool ou, se estiverem visivelmente sujas, lave as mãos com água e sabão.

Observações:

Substitua as máscaras usadas por uma nova máscara limpa e seca assim que esta tornar-se úmida;
Não reutilize máscaras descartáveis.
Nunca compartilhar máscaras e adotar as melhores práticas sobre como usá-las, removê-las e descartá-las.
Para a realização de procedimentos que produzam aerossóis de secreções respiratórias, como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizada máscara com nível de proteção, no mínimo, equivalente ao certificado N95;

b) Luvas

Quando necessário ao atendimento, é recomendável que as farmácias disponibilizem luvas tanto ao farmacêutico, como para os demais colaboradores.

c) Aventais, jalecos e uniformes

Trocar diariamente ou substituir imediatamente, caso haja contaminação após contato com pessoal infectada.

Atenção: todos os profissionais deverão ser capacitados para a prevenção da transmissão de agentes infecciosos e treinados para uso correto dos EPI.

Pode-se também consultar informações sobre o uso e cuidados com EPIs em: https://bit.ly/2x3XwLc

2- Elaborar em conjunto com o gestor da empresa onde atua Protocolo de Medidas Preventivas, considerando as normas aplicáveis ao tipo de estabelecimento, como por exemplo:

 Estabelecer distância mínima de 1m entre o paciente a ser atendido e o profissional que fará o atendimento, por meio de marcações, cartazes ou outro tipo de comunicação visual;
 Afixar alertas para que as pessoas não deem as mãos para se cumprimentar;
 Disponibilizar álcool gel para uso dos colaboradores do estabelecimento e para os pacientes;
 Realizar o atendimento no menor tempo possível;
 Utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);
 Estabelecer regime diferenciado de trabalho aos colaboradores enquadrados no grupo de maior risco (idosos acima de 60 anos, hipertensos, diabéticos, imunodeprimidos);
 Fornecer máscara e orientação sobre uso correto aos pacientes que apresentarem sintomas de infecção respiratória;
 Separar o paciente com sintomas de infecção respiratória dos demais pacientes do estabelecimento, mantendo uma distância de pelo menos 1 metro;
 Estabelecer um procedimento especial de limpeza do estabelecimento, lembrando de limpar e desinfetar frequentemente as zonas de atenção, as áreas de superfície onde há tráfego de usuários, os instrumentos clínicos e equipamentos de trabalho;
 Estabelecer protocolos sobre medidas gerais de proteção contra enfermidades respiratórias a todos os colaboradores do estabelecimento;
 Adotar medidas-padrão de precaução, para evitar contato e aspiração de gotículas de secreções respiratórias (uso de máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção);
 Estabelecer procedimentos que exijam técnica asséptica, atentando-se a recomendações específicas;
 Se necessário estabelecer número máximo de pessoas que podem adentrar ao estabelecimento ao mesmo tempo (para evitar aglomerações);
 Elaborar um plano de gerenciamento de resíduos, seguindo a RDC 222/2018 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

3- Atuar como profissional de saúde no cuidado ao paciente e auxiliando as autoridades públicas na contenção da epidemia:

 Afixar em locais visíveis ao público informação visual (cartaz e folderes) com instruções sobre higiene e outras medidas de prevenção. O CRF-SP disponibiliza o folder por meio do link: https://bit.ly/3dafLPw e em breve também disponibilizará um modelo de cartaz no portal: www.crfsp.org.br.

 Dar o devido encaminhamento aos casos suspeitos, por meio do uso da Ficha de Atendimento Farmacêutico - Suspeita de COVID-19 (disponível em: https://bit.ly/2QkyrT2);

 Notificar as autoridades competentes sobre os casos suspeitos, conforme instruções disponíveis no Manual de orientação ao farmacêutico – COVID-19, disponível em: https://bit.ly/2Qp7M7y);

 Desestimular a automedicação dos pacientes, o que pode mascarar o COVID-19 e outras doenças;
 Não propagar Fake News;
 Informar aos usuários as medidas genéricas de proteção individual referentes a enfermidades respiratórias que incluem:
• Higienizar as mãos com frequência, lavando-as com água e sabão ou higienizando-as com desinfetantes para mãos à base de álcool;
• Higienizar as narinas com água ou soro fisiológico, pois as narinas se destacam como ambiente de acúmulo de vírus;
• Cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou lenço quando tossir ou espirrar e eliminar imediatamente o lenço e higienizar as mãos;
• Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
• Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
• Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; - manter os ambientes bem ventilados;
• Evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas de infecções respiratórias agudas;
• Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
• Evitar o consumo de produtos animais crus ou mal cozidos. A carne crua, leite ou órgãos de animais devem ser manuseados com cuidado, para evitar a contaminação cruzada com alimentos não cozidos, de acordo com as boas práticas de segurança alimentar;
• Para pacientes com suspeita de COVID-19, aconselha-se também o uso de máscara cirúrgica descartável, seguindo as melhores práticas sobre como usá-las, removê-las e descartá-las, além da higienização das mãos. Porém apenas o uso da máscara é insuficiente para proporcionar um nível adequado de proteção, sendo essencial a manutenção dos demais cuidados;
• Ficar em casa e evitar contato com pessoas quando estiver doente;
• Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência;

Observação: o CRF-SP disponibiliza diversas ferramentas para auxiliar e capacitar o farmacêutico, basta acessar o portal por meio do link: https://bit.ly/38WGige ou a Academia Virtual de Farmácia do CRF-SP.

 

Departamento de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS