Medicamento nusinersena foi aprovado

Imagem meramente ilustrativa. | ReproduçãoImagem meramente ilustrativa. | Reprodução

São Paulo, 24 de abril de 2019

Um novo medicamento foi incorporado ao tratamento da AME (atrofia muscular espinhal) nesta quarta-feira (24). O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assinou no Senado a portaria de incorporação do medicamento nusinersena (spinraza) na Rename (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais) do Sistema Único de Saúde – SUS. O tratamento para AME custa cerca de R$1,3 milhão por paciente ao ano.

De acordo com o próprio ministério, este deve ser o primeiro medicamento comprado na modalidade intitulada compartilhamento de risco. A ideia do governo é realizar o compartilhamento de riscos com os laboratórios, fazendo com que o pagamento pelos medicamentos de alto custo seja feito mediante o progresso no tratamento do paciente.

Em 2017, o Ministério da Saúde deu entrada no processo de compra do spinraza para atender 13 ações judiciais de dezembro do mesmo ano. Na época, o medicamento foi oferecido ao Ministério por R$420 mil por ampola. Com a regularização, a expectativa é de cada ampola chegue a R$209 mil.

 

Departamento de Comunicação CRF-SP (Fonte: Estadão)

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS