Grupo Técnico de Trabalho de Osmologia e Óleos Essenciais

Valeria   Osmologia

 

Dra. Valéria Maria de Souza Antunes - Coordenadora

 Thais Carmo2jpg

 

 

Dra. Thaís Adriana do Carmo - Vice-Coordenadora

 

A Osmologia, palavra grega que significa “tratado sobre os aromas”, é a ciência que estuda o olfato e os odores. Envolve o estudo dos odores naturais e sintéticos. Ocupa-se da compreensão do olfato, de entender a interação e resposta entre os odores e os mecanismos fisiológicos e psicológicos, tornando-se, portanto, um ramo da ciência médica, através do uso da técnica terapêutica conhecida como Aromaterapia.

Deste o início da história do homem, em todas as civilizações, o uso de plantas para o tratamento de enfermidades se fez presente. O homem sempre observou a natureza na busca de ferramentas que amenizassem suas dores e suas doenças, e as plantas estavam lá, à sua disposição. Através da etnobotânica, esse saber antigo deu origem à Fitoterapia que é uma ciência que serviu de base para o desenvolvimento de fármacos tradicionalmente usados.

As substâncias presentes nos vegetais responsáveis pelos odores são, fundamentalmente, os óleos vegetais voláteis ou óleos essenciais.

No contexto da Fitoterapia, os óleos essenciais são exaustivamente estudados nas disciplinas do curso de Farmácia, dentre elas a Química Orgânica, a Farmacognosia, a Botânica, a Farmacologia, a Fitoterapia, Tecnologia de Alimentos (como aditivo alimentar), Medicamentos, Cosméticos e Fitocosméticos (como ingrediente e conservante). Não há outro curso superior que se dedique ao conhecimento e aplicação das plantas e seus derivados como o curso superior de Farmácia.

Os óleos essenciais são produtos do metabolismo secundário das plantas, assim como os alcaloides, taninos, flavonoides, saponinas e óleos vegetais, entre outros, e, suas ações estão amplamente estabelecidas na literatura científica, apresentando atividade fisiológica comprovada, atuando tanto no restabelecimento e manutenção de funções orgânicas como também no equilíbrio emocional.

A complexidade química dos óleos essenciais deve-se ao grande número de componentes interligados através de sua origem biossíntética, como hidrocarbonetos terpênicos, alifáticos, ácidos orgânicos, lactonas, aldeídos, fenóis, cetonas, cumarinas, álcoois simples e terpênicos, entre outros.

A concentração dos componentes é variável durante o ciclo da planta, sendo que algum deles costuma ser predominante, enquanto os outros apresentam-se em quantidades menores.

Segundo alguns autores, os óleos essenciais podem ser classificados pela respectiva ação farmacológica, mostrando ação como irritantes, anti-inflamatórios, expectorantes, estomáquicos, carminativos, diuréticos, parasiticidas, antissépticos e desinfetantes. Podem, também, ser classificados de acordo com a natureza química de seus componentes, dividindo-os em terpenos, derivados benzênicos, hidrocarbonetos alifáticos, conforme citado acima, ou pela família aromática originária, das quais podem-se destacar os florais, os cítricos, e os amadeirados.

A interpretação do uso e aplicação dos óleos essenciais entra em áreas de atuação farmacêutica, tais como: desenvolvimento de cosméticos, na área alimentícia como aditivo, no desenvolvimento de medicamentos e no desenvolvimento de produtos fitoterápicos. E, pode se constituir numa prática integrativa e complementar à saúde, no exercício do cuidado farmacêutico. Desta forma, o óleo essencial entra nas legislações pertinentes a cada um desses setores.

Há que se atentar para a qualidade dos óleos essenciais, pois, não raro, ocorrem adulterações ou ainda erros na identificação do vegetal de origem. O controle de qualidade é fundamental para seu uso com segurança e eficiência.

A adulteração, falsificação e o uso inadequado ou indevido de componentes químicos como os expostos acima, pode comprometer a saúde dos usuários, causar problemas toxicológicos e ter consequências graves aos usuários.

O Farmacêutico, sendo o profissional que atua diretamente com o paciente, e baseado em seu entendimento da química, da farmacologia e da Fitoterapia, possui os requisitos necessários para aplicar terapeuticamente os óleos essenciais e acompanhar seus benefícios no organismo humano.

O objetivo deste grupo técnico é organizar referências bibliográficas de forma a documentar informações sobre o tema Osmologia e ampliar o âmbito profissional farmacêutico para área de Prescrição Farmacêutica, da Farmácia Clínica, da Farmácia Comunitária e da Farmácia Magistral, Estética Farmacêutica. Além disso, criar um marco legal, uma vez que não há normas específicas sobre as aplicações dos óleos essenciais no Brasil.

Os colegas interessados em participar deste grupo deverão entrar em contato com o Departamento de Apoio Técnico e Educação Permanente pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Clique aqui e confira a agenda de reuniões.

Osmologia e Óleos Essenciais - Membros

Dr. Daniel Antunes Junior
Dra. Margarete Akemi Kishi
Dra. Maria Inez Grabert Neves Yebra
Dra. Thais Adriana do Carmo
Dra. Valéria Maria de Souza Antunes