CRF-SP não aceita graduação de Farmácia em formato 100% EAD

 

CRF-SP não aceita curso de Farmácia em formato 100% EADCRF-SP não aceita curso de Farmácia em formato 100% EAD

São Paulo, 16 de fevereiro de 2017.

Na reunião plenária realizada na última segunda-feira (13/02) na sede do CRF-SP, os conselheiros da Entidade discutiram os impactos que podem ser causados na formação do farmacêutico na modalidade 100% a distância.

De forma unânime o plenário se posicionou totalmente contrário a este formato de graduação, visto que a formação de profissionais da saúde requer conhecimentos e desenvolvimento de habilidades e atitudes, que devem ser trabalhadas de forma prática e integrada. Aprender com situações reais - e não virtuais - é essencial para que o aluno seja capacitado a realizar procedimentos e tomar decisões em casos concretos.

A formação na modalidade EAD, na sua totalidade, desconsidera a relação da qualidade da educação superior na área da saúde, com o seguro atendimento da população pelos diferentes profissionais envolvidos. As atribuições exigem formação humanística, que só é viável pela interação direta com o paciente.

Esclarecemos que o CRF-SP não é contrário a novas tecnologias, mas elas devem ser utilizadas de forma a contribuir com a sociedade. Na educação, por exemplo, é útil para cursos teóricos de atualização profissional, ou até mesmo de pós-graduações, mas jamais deve substituir o ensino presencial, principalmente quando se trata de formação de profissionais que terão a responsabilidade de cuidar de vidas.

Ações aprovadas na Plenária

O plenário aprovou a proposta da Diretoria de realizar uma campanha contrária a essa modalidade de curso, bem como a elaboração de um documento pela Comissão Assessora de Educação Farmacêutica (Caef) da Entidade, demonstrando como os cursos EAD podem afetar os direitos do cidadão que necessita de medicamentos e dos serviços do farmacêutico. Com esse relatório o Departamento Jurídico e a Diretoria realizarão ações junto às autoridades, que podem englobar, inclusive, o âmbito judicial.

Ações em andamento

- Participação do Grupo Técnico de Educação do Fórum dos Conselhos Atividades Fim Saúde (FCAFS) do Estado de São Paulo, desde fevereiro/2012, que foi criado diante da preocupação dos Conselhos Profissionais da Saúde com a qualidade na formação dos profissionais da área;

- Desde janeiro de 2016, o grupo voltou totalmente as suas discussões para a graduação a distância. Dessa forma, realizou alguns eventos e produziu os materiais a seguir:

    • Parecer do FCAFS (elaborado pelo Grupo Técnico de Educação) com as particularidades de cada profissão;

    • Relatório do I Encontro dos Conselhos Profissionais da Área da Saúde de São Paulo para discutir o EAD na graduação, realizado em 30/06/2016;

    • Audiência Pública, realizada em 29/11/2016, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A audiência foi realizada pela Comissão de Saúde da Alesp, com apoio do FCAFS. 

       Documentos referentes à audiência:

  • Moção de apoio para as iniciativas parlamentares que proíbam o EAD para a saúde;
  • Moção de repúdio às IES que tenham cursos de graduação EAD.

- Entrega da minuta do PL, moção de apoio e repúdio acima citadas na Comissão de Saúde da Alesp no dia 14/02/17;

Parecer Caef/CRF-SP sobre os cursos de graduação em farmácia em EAD;

- Envio de Ofício com parecer contrário aos cursos 100% EAD a todos os Deputados Federais e aos Ministros da Educação e da Saúde.

 

Assessoria de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS