PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 132 - OUT - NOV - DEZ/2017

 

XIX Congresso Farmacêutico de São Paulo

 

Atividades com foco em cuidados ao paciente lotam auditórios e apontam a prática clínica como tendênciapara o futuro da profissão

 

Cerimônia de abertura mostrou o crescimento e fortalecimento da profissão nos últimos anosRemetendo à tradição iniciada nos anos 1970, década em que ocorreu a sua primeira edição, o XIX Congresso Farmacêutico de São Paulo, realizado no Centro de Convenções Frei Caneca, na capital, entre os dias 6 e 8 de outubro, cumpriu o propósito de apontar os caminhos e as tendências que a Farmácia deve trilhar nos próximos anos. E, a julgar pelas atividades mais disputadas ao longo dos três dias de evento, o futuro da profissão indica que o farmacêutico tem os olhos voltados para a atenção e cuidados com o paciente.

A tendência foi apresentada sob a ótica de 200 ministrantes especializados em diversos temas, cuja expectativa foi fornecer subsídios para ajudar os mais de 2,5 mil participantes vindos de 350 cidades do Brasil, 27 estados e oito países, a consolidar o sucesso profissional. Ao todo foram mais de 300 horas de programação, entre cursos, palestras, mesas-redondas e simpósios, sendo boa parte dedicada a especificidades dessa nova face da Farmácia, mais atenta ao tratamento do paciente.

Ministrante da palestra “Alzheimer: tratamento e cuidados humanizados”, evento que lotou um dos maiores auditórios do Centro de Convenções Frei Caneca, Dr. Gustavo Alves, coordenador do Grupo Cuidados Farmacêuticos ao Idoso do CRF-SP, reforça essa tese e faz um comparativo com a edição de 2015, quando também abordou o mesmo tema. Estande do CRF-SP ofereceu materiais técnicos, folderes orientativos e mostrou ações do CRF-SP

“Na última edição do Congresso, a palestra sobre cuidados e tratamento do Alzheimer teve um público bom, mas nada comparado à esta edição. Essa mudança de atitude demonstra o interesse tanto de profissionais, quanto de estudantes de Farmácia, para com os temas voltados aos cuidados aos idosos. É um fato maravilhoso porque aponta que o trabalho que temos desenvolvido no CRF-SP, com as ações do Grupo Cuidados Farmacêuticos ao Idoso, tem surtido efeito”, avalia o farmacêutico.

Segundo a Dra. Luciene Moreira Marques, que participou do Simpósio Exames Laboratoriais no Contexto das Atribuições Clínicas: “Se comparado com anos atrás, as possibilidades hoje são totalmente diferentes e muito melhores. Estamos num momento da profissão farmacêutica em que não falamos mais somente da dispensação de medicamento; estamos falando de um profissional voltado para área clínica. Agora, nossa luta é outra, para fazer atendimento e consulta farmacêutica. É importante saber em que contexto da profissão se encaixam os exames laboratoriais”.

Houve lotação máxima também na mesa-redonda sobre consultório farmacêutico. Uma das ministrantes, Dra. Sílvia Storpirtis, ressaltou ser necessário ter conhecimento prático e clínico. “É preciso atuar dentro dos limites profissionais e dentro da filosofia de cuidados farmacêuticos”. 

Dr. Philip Hansbro (Austrália), Dr. Raimar Loebenberg (Canadá), Dr. Kamal Dua (Índia), Profª. Terezinha de Jesus, Dr. José Vanilton de Almeida, Dr. Pedro Eduardo Menegasso, Dr. Carlos Maurício Barbosa (Portugal), Dr. Marcos Machado, Dr. Humberto Zardo (EUA) e Dr. Adbikarim Mohammed Daud (Turquia)


“Resgatar o atendimento individual”


Movimentação de congressistas nos estandes da Expofar 2017Os congressistas também tiveram muitas oportunidades de interagirDr. Abdikarim Mohamed Abdi com ministrantes internacionais que, por meio das atividades apresentadas, abordaram o panorama da Farmácia em seus países. O somali  radicado na Turquia Dr. Abdikarim Mohamed Abdi, diretor de práticas experimentais clínicas da Faculdade de Farmácia da Universidade do Oriente, na Turquia, acredita que o farmacêutico deve resgatar o atendimento individualizado, com atenção e dedicação ao paciente.

“Se me perguntam qual foi o motivo para eu fazer Farmácia, respondo que fiz porque quero cuidar da vida das pessoas. Estamos buscando ser profissionais clínicos, completos e, como farmacêuticos, temos habilidades únicas”, afirmou.Temas de destaque garantiram a presença de grande número de congressistas nas palestras

O presidente do CRF-SP, Dr. Pedro Eduardo Menegasso, ressaltou a qualidade das discussões nos três dias de evento. “Somos uma profissão que constrói o sucesso e o futuro. A cada dia temos batalhado para mostrar que temos valor. Estamos no caminho de mudanças. Que todos saiam do Congresso prontos para o sucesso! ”.


Novidades


Dr. Marcos Machado encerrou o XIX Congresso e convidou os presentes para participarem do XX CongressoA grade de atividades do XIX Congresso Farmacêutico de São Paulo também teve amplo espaço para temas voltados para inovação farmacêutica, entre os quais pesquisa e desenvolvimento com biofármacos, nanotecnologia, análise e gestão de risco de indústrias farmacêuticas, e até sobre o uso de canabinoide na terapêutica.

Este último ficou a cargo de um dos mais experientes pesquisadores do assunto no Brasil, o Dr. Francisco Silveira Guimarães, docente da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, que integra o grupo que há 35 anos estuda os efeitos da substância.

No encerramento, Dr. Marcos Machado Ferreira, diretor-tesoureiro do CRF-SP,  elogiou a comissão organizadora, ministrantes, funcionários e patrocinadores. “O resultado deste congresso encantou a todos. Foram inúmeras contribuições e cada uma das pessoas que se envolveu com sua realização, comissão organizadora, palestrantes, colaboradores do CRF-SP, fez o seu melhor para o sucesso que é de todos. Estamos certos de que saímos daqui com uma visão diferenciada de que agora poderemos fazer melhor.” 


Por Renata Gonçalez (com informações de Carlos Nascimento, Mônica Neri e Thais Noronha)

 

  

XIX Congresso Farmacêutico em números

2,5 mil participantes
Congressistas de 350 cidades brasileiras, 27 Estados e 8 países
200 ministrantes / 300 horas de palestras / 40 expositores
Total de participantes entre 2007 e 2017: 18,8 mil congressistas

  

Há 45 anos evoluindo com a profissão

Apontado como um dos maiores eventos da área de Farmácia da América Latina, o Congresso Farmacêutico de São Paulo (outrora denominado Congresso Paulista de Farmacêuticos) foi realizado pela primeira vez em novembro de 1972. Nascia o primeiro encontro técnico-científico voltado especialmente aos farmacêuticos, realizado no Palácio dos Bandeirantes, na capital. 

Ainda com uma programação tímida, o Congresso já evidenciava o ímpeto da categoria farmacêutica em mudar a realidade e, assim, fazer com que a profissão se fortalecesse e ganhasse importância para debater e contribuir na construção de regulamentações para a área. 

De lá para cá, o evento foi evoluindo com a profissão, sempre pautado com acontecimentos importantes para a Farmácia, agregando discussões acerca de assuntos como:

• Práticas alternativas e complementares; 

• Decreto presidencial nº 85.878/81, que definiu as atribuições privativas dos farmacêuticos e representou uma das maiores vitórias da profissão;

• A criação do Sistema Único de Saúde com a promulgação da Constituição de 1988; 

• O substitutivo apresentado pelo deputado federal Ivan Valente ao PL 4.385/94 (que propunha nova redação ao artigo 15 da Lei 5.991/73 e a consequente desobrigação da responsabilidade técnica exclusiva pelos farmacêuticos em farmácias e drogarias);

• A criação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); a RDC 44/09 (que regulamenta a prestação de serviços farmacêuticos);

• E a recente aprovação da Lei 13.021/14.

 

 

PATROCINADORES DO XIX CONGRESSO FARMACÊUTICO DE SÃO PAULO:

 

 

 
 
 

     

     

    farmacêutico especialista

     

    Há 45 anos evoluindo com a profissão
     
    Apontado como um dos maiores eventos da área de Farmácia da América Latina, o Congresso Farmacêutico de São Paulo (outrora denominado Congresso Paulista de Farmacêuticos) foi realizado pela primeira vez em novembro de 1972. Nascia o primeiro encontro técnico-científico voltado especialmente aos farmacêuticos, realizado no Palácio dos Bandeirantes, na capital. 
    Ainda com uma programação tímida, o Congresso já evidenciava o ímpeto da categoria farmacêutica em mudar a realidade e, assim, fazer com que a profissão se fortalecesse e ganhasse importância para debater e contribuir na construção de regulamentações para a área. 
    De lá para cá, o evento foi evoluindo com a profissão, sempre pautado com acontecimentos importantes para a Farmácia, agregando discussões acerca de assuntos como:
    • Práticas alternativas e complementares; 
    • Decreto presidencial nº 85.878/81, que definiu as atribuições privativas dos farmacêuticos e representou uma das maiores vitórias da profissão;
    • A criação do Sistema Único de Saúde com a promulgação da Constituição de 1988; 
    • O substitutivo apresentado pelo deputado federal Ivan Valente ao PL 4.385/94 (que propunha nova redação ao artigo 15 da Lei 5.991/73 e a consequente desobrigação da responsabilidade técnica exclusiva pelos farmacêuticos em farmácias e drogarias);
    • A criação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); a RDC 44/09 (que regulamenta a prestação de serviços farmacêuticos);
    • E a recente aprovação da Lei 13.021/14.