PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 131 - AGO - SET/2017

 

 

ALEITAMENTO MATERNO

Farmacêuticos da Zona Leste integram campanha de incentivo à amamentação

A falta de informações sobre a importância do aleitamento materno é uma realidade comum entre mães e muitas vezes até mesmo entre profissionais de saúde. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 38% das crianças no mundo se alimentam exclusivamente de leite materno nos seis primeiros meses de vida. A intenção é que até 2025 esse número chegue a, pelo menos, 50%.

Dra. Alessandra Brognara, diretora da Seccional Zona LesteCom o objetivo de combater a falta de informação e ampliar o porcentual de crianças que se beneficiam desse alimento, farmacêuticos da saúde pública da Zona Leste de São Paulo estão promovendo ações de orientação ao comércio e à população, além de participar das comemorações da 25ª Semana Mundial da Amamentação durante o evento “Juntos pela Amamentação”, que reuniu profissionais de saúde e a população de São Mateus, na sede da igreja Assembleia de Deus, na Zona Leste de São Paulo.

Com o tema “Proteger a amamentação, construindo alianças sem conflito de interesse”, o encontro teve o objetivo de debater a importância do aleitamento e incentivar políticas públicas sobre a prática. A diretora regional da Zona Leste, Dra. Alessandra Brognara, participou da mesa de abertura, ao lado de representantes do poder público e gestores de saúde da cidade de São Paulo.

“Como mãe, estou aqui para falar desta data importante para os farmacêuticos que abraçaram a causa do aleitamento materno. Os farmacêuticos estão representados e fazendo parte desta ação como profissionais da área da saúde. Esta é uma conquista que irá engrandecer a nossa profissão”, falou a Dra. Alessandra Brognara.

O presidente do CRF-SP, Dr. Pedro Eduardo Menegasso, também prestigiou o encontro e destaca a importância da participação do farmacêutico nesta e em outras ações que o aproximam da comunidade, criando um elo de confiança entre o profissional e seus pacientes, condição que o tornará imprescindível no serviço público.

Farmacêuticos da Zona Leste têm atuação destacada nas orientações

 

Juntos pela amamentação

Dra. Camila AngeloPela primeira vez, os farmacêuticos da saúde pública da Zona Leste integram ações de incentivo à amamentação. A campanha possui diretrizes educativas para a população e também para o comércio. De acordo com a Dra. Camila Angelo, farmacêutica da UBS CDHU Palanque e uma das líderes da ação, a supervisão técnica da secretaria municipal de Saúde da região de São Mateus organizou uma gincana em que as equipes de farmacêuticos competem entre si, com o objetivo de que as metas sejam superadas e alcancem maior número de orientações. Além disso, os profissionais são constantemente capacitados para oferecer informações relevantes para o comércio e para as mães.

Ela conta que as equipes vão até os estabelecimentos que vendem produtos relacionados com o aleitamento (leites industrializados, papinhas, mamadeiras e chupetas) verificando se estão dentro da Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras (NBCAL). “Caso não estejam, oferecemos uma parceria em que a equipe capacita os estabelecimentos até a adequação dessas normas”, disse.

Segundo a Dra. Camila, a atuação do farmacêutico é fundamental porque “quando nos apresentamos como farmacêuticos a um outro farmacêutico de drogaria, ou em supermercados, por exemplo, sentimos menor resistência a escutar as orientações e criar vínculo com a parceria”, explicou.

Dra. Thais Helena LotAlém da orientação, os profissionais fazem ações dentro das unidades de saúde para arrecadação de chupetas e mamadeiras, incentivando a criança a largar esses bicos e desencorajando a mãe a oferecê-los, além de destinar os resíduos desse material para reciclagem e contribuir com o meio ambiente.

Segundo a Dra. Thais Helena Lot, coordenadora da Comissão Assessora de Saúde Pública da Seccional Leste, o CRF-SP, além de apoiar essas ações, também oferece cursos para farmacêuticos visando o manejo de gestantes, saúde da mulher e amamentação. “A importância de o farmacêutico estar inserido na ação está na sua capacidade de incentivar e orientar a mãe na amamentação e no uso adequado dos medicamentos”, comentou.

Por Carlos Nascimento

 

 

Qual a importância do aleitamento para a saúde?

São vários os benefícios do aleitamento materno. A amamentação contribui para a recuperação do útero, diminuindo o risco de hemorragia da mãe após o parto, minimiza o risco de desenvolver, no futuro, câncer de mama e de ovário, doenças cardiovasculares e diabetes.

No caso do bebê, o leite humano provoca menos cólicas e a sucção colabora para o desenvolvimento da arcada dentária, da fala e da respiração. O leite também protege a criança contra anemia, alergias, infecções, obesidade e intolerância ao glúten.

(fonte: http://www.brasil.gov.br/saude/2011/10/amamentacao-traz-beneficios-para-a-mae-e-o-bebe/)

 

 

     

     

    farmacêutico especialista