PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 131 - AGO - SET/2017

 

COMISSÃO ASSESSORAS / ACUPUNTURA

Acupuntura no apoio ao tratamento da Tireoidite de Hashimoto

COMO AS TÉCNICAS DE LASERACUPUNTURA E AURICULOTERAPIA CONTRIBUEM NA DIMINUIÇÃO DE SINTOMAS E TRATAMENTO DA DOENÇA

 

Cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e em torno de 20% das que têm acima de 60 manifestam algum problema na tireoide. Porém, todas as pessoas, independentemente de sexo e idade, estão sujeitas a esse mal. Entre as doenças relacionadas à glândula está a Tireoidite de Hashimoto, que pode ser classificada como tireoidite linfocítica crônica.

Portadores dessa doença apresentam uma inflamação da tireoide, o que faz com que seus organismos produzam anticorpos que atacam as células da própria glândula. Esses anticorpos provocam a destruição ou a redução da sua atividade, o que pode levar ao hipotireoidismo por carência na produção dos hormônios triiodotironina (T3) e tiroxina (T4). Na visão oriental, a tireoidite, por ser caracterizada por uma inflamação e apresentar sinais característicos como dor, tumor e rubor, é um distúrbio ligado ao calor e, deste modo, relacionado com o elemento fogo, significando que suas origens podem estar relacionadas com insuficiência do Rim/Yin e prevalência do Rim/Yang. Essa desarmonia entre Yin e Yang aponta um desequilíbrio no corpo e uma maior propensão à doença.  

“Os tratamentos da Medicina Tradicional Chinesa visam, acima de tudo, um reestabelecimento do equilíbrio do organismo. Desse modo, os pontos de acupuntura, quando estimulados ou sedados corretamente, irão promover a restauração do equilíbrio alterado na enfermidade ou nos desequilíbrios energéticos”, afirma o membro da Comissão Assessora de Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa do CRF-SP, Dr. José Ricardo Domingues. 

Atualmente, existem diversas terapias para tratar a doença por meio da Medicina Tradicional Chinesa – MTC, como a aplicação de laseracupuntura em pontos específicos, associada à auriculoterapia com sementes de mostarda. Essas foram as técnicas escolhidas pelo Dr. José Ricardo para tratar uma paciente com a doença e elaborar um estudo de caso.

Segundo ele, a acupuntura é efetiva para tratar sintomas da doença como dores nas pernas e articulações, dificuldade em ganhar peso, constipação, dores de cabeça, oscilação de humor e desânimo. A acupuntura também é uma interessante alternativa para tratar as próprias disfunções da glândula e pode contribuir para a diminuição da dose do medicamento. Essa possibilidade foi detectada durante o estudo.

Com as técnicas empregadas em sessões combinadas em uma paciente do sexo feminino, de 32 anos de idade, que aos 12 anos foi diagnosticada com Tireoidite de Hashimoto, foram restauradas, promovidas e equilibradas as funções energéticas dos tecidos e órgãos, melhorando a circulação sanguínea, aumentando a imunidade e promovendo o bem-estar físico e mental, através da sua recuperação orgânica funcional. Em 18 meses caíram os valores de dosagem de TSH (Hormônio Tireoestimulante) nos exames da paciente, passando de 5,08 para 0,033, o que refletiu na redução da dosagem do medicamento que faz uso contínuo. Confira os pontos estimulados:

 

Por Renata Gonçalez

Pontos utilizados com a técnica de auriculoterapia

 

 

Pontos utilizados com a técnica de lasercupuntura

 

 
 

     

     

    farmacêutico especialista