PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 130 - MAI - JUN - JUL/2017

 

Palavra do ministrante

Alzheimer: Tratamento e Cuidados Humanizados

Dr. Gustavo Alves Andrade dos Santos

 

No dia 4 de novembro de 1906, Alois Alzheimer apresentou um caso raro que daria origem a um dos maiores desafios da Medicina do mundo moderno e que tinha como título: “Uma Doença peculiar dos neurônios do córtex cerebral “. Alguns anos depois, esta doença recebeu o nome de Doença de Alzheimer (DA). Esta doença é caracterizada por um transtorno neurogenerativo, progressivo e fatal manifestado por deterioração cognitiva e da memória, com comprometimento progressivo das atividades de vida diária e uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações do comportamento. Esta doença interfere diretamente na qualidade de vida das pessoas, tornando-as extremamente dependentes, com profundas alterações do comportamento, dependendo do estágio em que se encontra. Um dos maiores desafios da ciência nos últimos anos tem sido a busca de tratamentos e diagnósticos precisos e precoces para esta doença.A atenção farmacêutica ao idoso demenciado com Alzheimer requer conhecimento dos aspectos biopsicossociais relacionados ao envelhecimento

A Academia Americana de Neurologia lista algumas comorbidades na DA, como depressão, deficiência de Vitamina B12 e o Hipotireoidismo. Exames como a Tomografia Computadorizada (TC) ou a Ressonância Magnética (RM) excluem lesões estruturais capazes de contribuir para a demência. Mas, sem dúvida alguma, o exame de história familiar, avaliação clínica, avaliações cognitivas como o miniexame do estado mental (MEEM) e alguns exames laboratoriais são fundamentais para um diagnóstico um pouco mais preciso, embora ainda não exato, já que a identificação inequívoca e conclusiva desta doença só seja possível através de necropsia.

Atualmente o farmacêutico é identificado como profissional imprescindível na equipe multidisciplinar que atende ao paciente com Alzheimer

O tratamento da Doença de Alzheimer baseia-se em estratégias terapêuticas que visam restabelecer a cognição e melhorar aspectos comportamentais do paciente, os quais interferem nas atividades da vida diária.

A atenção farmacêutica ao idoso demenciado com Alzheimer requer conhecimento dos aspectos biopsicossociais relacionados ao envelhecimento, além, obviamente, de elevada competência técnica para lidar com a farmacoterapia utilizada, já que é bastante comum estes pacientes utilizarem, além das drogas de base, outros medicamentos de suporte, dentre eles os psicofármacos.

A humanização no tratamento ao idoso com Alzheimer é de fundamental importância, tendo em vista tratar-se, na grande maioria das vezes, de pacientes cognitivamente fragilizados pela doença. Atualmente o farmacêutico é identificado como profissional imprescindível na equipe multidisciplinar que atende ao paciente com Alzheimer e/ou seus respectivos cuidadores.

 

DR. GUSTAVO ALVES ANDRADE DOS SANTOS é farmacêutico-bioquímico, doutor em biotecnologia pela Universidade Anhanguera, mestre em Farmácia, professor universitário, pesquisador em doença de Alzheimer; consultor em Farmácia e diretor do site www.farmaciahospitalar.com.

Dr. Gustavo Alves Andrade dos Santos irá ministrar a palestra Alzheimer: Tratamento e Cuidados Humanizados