Revista do Farmacêutico 114 - CRF-SP em Ação - Trabalho digno

rf108_cabecalho

PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 114 - NOV-DEZ / 2013

Revista 114 setinha CRF-SP em Ação setinha Trabalho digno

 

Trabalho digno

Seminário de Ética debate condições dignas de trabalho na Farmácia

 

Foto: Mônica Neri
Farmacêuticos participam de debate na sede do CRF-SP

Salário adequado, benefícios satisfatórios, autonomia técnica. Para aprimorar essas discussões, o CRF-SP promoveu, em 19 de outubro, o seminário “Ética e condições dignas de trabalho” na sede.

 

Na abertura do evento, o presidente do CRF-SP, dr. Pedro Menegasso, ressaltou o conflito entre “comércio x saúde” nas farmácias e drogarias. 

“Infelizmente, no Brasil, a farmácia é considerada comércio. Vemos que a maioria dos empresários do ramo se preocupa mais com as questões mercadológicas do que com a saúde da população. O papel do farmacêutico é justamente lutar para que esses locais sejam considerados estabelecimentos de saúde e que prevaleçam as questões éticas às pressões do mercado.

 Para embasar as questões teóricas sobre a ética e entender a relação entre ela e as condições de trabalho, o filósofo, Prof. Dr. Renato Janine Ribeiro, ministrou a palestra “Ética e condições dignas de trabalho: os princípios e a natureza da ética”, que abordou os fundamentos filosóficos e éticos que podem ser utilizados para sustentar a defesa das condições de trabalho.

Para o professor Renato, a justificativa tem que transcender o desejo da pessoa. “Toda vez que vamos introduzir a questão ética quanto às condições de trabalho, não podemos simplesmente fazê-la para ter vantagem pessoal ou profissional. Tem que ter sempre uma justificativa social.”

As questões legais também foram abordadas durante o Seminário por meio da palestra “Assédio moral, impacto nas condições dignas de trabalho e na ética profissional”, ministrada pelo dr. José Dirceu Rodrigues de Lima, que também destacou a importância da presença do farmacêutico nas farmácias. “O quartel não sobrevive sem soldados, as escolas não sobrevivem sem professores, da mesma forma, a farmácia não pode sobreviver sem farmacêutico.”

 

Foto: Mônica Neri
Dr. José Dirceu Lima, dr. Renato Ribeiro, dr. Pedro Menegasso, dr. Rogério Silveira e dr. Paulo Lorandi

Além dos farmacêuticos presentes, as discussões foram acompanhadas, ao vivo, via transmissão online do portal do CRF-SP.

 

Após as palestras, o presidente do CRF-SP, os ministrantes e o coordenador das Comissões de Ética do CRF-SP, dr. Paulo Lorandi, responderam as principais dúvidas dos presentes e internautas durante uma mesa de debates, mediada pelo dr. Rogério Silveira, diretor da Seccional de Sorocaba do CRF-SP e tesoureiro eleito do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado de São Paulo (Sinfar-SP). 

Para o dr. Lorandi, é fundamental que as instituições farmacêuticas tomem a frente nas discussões sobre condições dignas de trabalho. É importante para que a discussão seja ampliada. Se não houver debate, fiscalização, legislação, pressão política, as condições dignas não virão”. Mônica Neri

 

 

setinha  Voltar ao Sumário

setinha  Acesse aqui as edições anteriores ou faça download da Revista do Farmacêutico