Revista 108 - CRF-SP em Ação - Justa Homenagem

rf108_cabecalho

PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 108 - AGO - SET - OUT / 2012

Revista 108 setinha CRF-SP em Ação setinha Justa Homenagem


Justa Homenagem

Edifício que abriga a sede do CRF-SP muda de nome para homenagear uma das mais respeitadas farmacêuticas do país e exemplo de profissional de atitude

 

Sede na rua Capote Valente, na capital, mudou de nome como uma justa homenagem (Foto: Mônica Neri)
Sede na rua Capote Valente, na capital, mudou
de nome como uma justa homenagem
(Foto: Mônica Neri)

Desde agosto de 2012, o edifício sede do CRF-SP mudou de nome e passou a se chamar Edifício Farmacêutica Dra. Adelaide José Vaz. A mudança presta uma justa homenagem àquela que foi uma das farmacêuticas que mais se destacaram no país na defesa da profissão e da ética.

Formada em 1981 pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), com mestrado e doutorado em Ciências Imunológicas também pela USP, ainda no final dos anos 80, a dra. Adelaide começou a atuar de forma mais intensa no CRF-SP. Foi conselheira por vários mandatos e, em 1994, assumiu a presidência da entidade, praticando ações em favor da conscientização ética e do engajamento do farmacêutico como profissional da saúde. 

Como presidente do Conselho, ampliou e fortaleceu o setor de fiscalização, criou a seção de Denúncias e informatizou e aprimorou o atendimento aos farmacêuticos e ao público. Durante sua gestão, acompanhou de perto e apoiou fortemente a implementação dos medicamentos genéricos (Decreto 793/93) e a implantação da assistência farmacêutica no Estado. 

Dra. Adelaide teve fôlego, ainda, para cursar a Faculdade de Direito do Largo São Francisco/USP, graduando-se bacharel em Direito com a intenção de compreender melhor os aspectos legais da profissão farmacêutica. Ela faleceu em setembro do ano passado, aos 57 anos, quando se dedicava à docência nas universidades São Judas Tadeu e Oswaldo Cruz, e à pesquisa na Universidade de São Paulo.

 

Dra. Adelaide deixou sua marca na defesa de projetos importantes para a profissão e como presidente do CRF-SP (Foto: Divulgação / CRF-SP)
Dra. Adelaide deixou sua marca na defesa de projetos importantes para a profissão
e como presidente do CRF-SP
(Foto: Divulgação / CRF-SP)
Na última edição do Jornal do Farmacêutico, de 1994 (posteriormente substituído pela Revista do Farmacêutico), o editorial, assinado por ela, fazia uma alerta de que a luta pelo fortalecimento da profissão seria longa e implicava na constante vigilância do âmbito, alerta este que permanece válido até hoje:

 

“Chegamos ao final de 1994 com um saldo positivo. Barramos, ainda que provisoriamente, o projeto de lei da senadora Marluce Pinto, que tenta afastar o farmacêutico das farmácias e drogarias e rechaçamos a medida provisória que liberou a venda de medicamentos em supermercados. Entraremos em 1995 com a cabeça erguida e com o sentimento de que fizemos o que foi possível, mas sem esquecer que muito ainda deve ser feito”.

  (Dra. Adelaide José Vaz)

Mônica Neri


setinha  Voltar ao Sumário

setinha  Acesse aqui as edições anteriores ou faça download da Revista do Farmacêutico