Revista 108 - Farmacêuticos de Atitude

rf108_cabecalho
PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 108 - AGO - SET - OUT / 2012

Revista 108 setinha Farmacêuticos de Atitude

 

Multiplicando por dez

O trabalho de uma farmacêutica faz a diferença, promove profundas mudanças em uma empresa de logística

O trabalho da dra. Maria Aparecida foi fundamental para atransformação da empresa em uma referência de mercado (Fotos: Carlos Nascimento)
O trabalho da dra. Maria Aparecida foi fundamental para a transformação da empresa em uma referência de mercado (Fotos: Carlos Nascimento)

Transformar uma pequena empresa em uma das maiores de seu segmento não é tarefa para qualquer um. Isso só é possível graças à competência e empenho de profissionais capazes de promover mudanças e implementar conceitos modernos de gestão. A dra. Maria Aparecida Luvizotto é um bom exemplo disso. Ela foi uma das responsáveis por transformar uma pequena empresa de logística de medicamentos em uma organização que hoje é reconhecida no mercado, conta com centros de distribuição espalhados por diversas regiões do país, oferecendo moderna estrutura de armazenagem, contando com certificações internacionais e prestando serviços para as grandes indústrias, distribuidores, redes de farmácias e laboratórios.

A dra. Maria Aparecida relata que quando assumiu o desafio de estruturar os controles de armazenagem e distribuição, documentos e procedimentos, existia a cultura de que o farmacêutico apenas deveria assinar pela responsabilidade técnica, sem grandes compromissos com a assistência farmacêutica. "Na época, havia apenas três farmacêuticos no grupo", lembra a profissional, que hoje ocupa a diretoria corporativa de qualidade e assuntos regulatórios e comanda uma equipe de 30 farmacêuticos. A farmacêutica disse que teve dificuldades para implantar os conceitos de gestão e investir em recursos materiais e humanos necessários para a transformação. "A grande dificuldade foi passar para a empresa a visão de que o custo do investimento inicial em qualidade e profissionais traria grandes oportunidades de negócios", revelou.

Parte da equipe de farmacêuticos da Bomi: evolução da empresa foi possível pela qualidade desses profissionais (Foto: Carlos Nascimento)
Parte da equipe de farmacêuticos da Bomi: evolução da empresa foi possível pela qualidade desses profissionais (Foto: Carlos Nascimento)

Graças a esta tarefa de convencimento, a diretoria compreendeu a necessidade de investir em pessoas, processos, ferramentas e sistemas. A partir de então, com exemplos práticos, muito diálogo, treinamento e com a obtenção dos resultados, todos foram se engajando e promovendo as mudanças necessárias.

A farmacêutica passou a fazer controles de qualidade de armazenagem e distribuição. Procurou garantir a integridade de produtos e a monitorar a temperatura das embalagens, armazéns e baús climatizados. Regularizou a documentação, procedimentos, validações e processos, sistemas e transportes. Dra. Maria Aparecida afirma que em pouco tempo fechou grandes contratos com empresas de destaque no mercado. "O profissional farmacêutico passou a ser figura indispensável para o desenvolvimento e manutenção das atividades da Bomi", ressaltou.

Graças ao trabalho desenvolvido pela dra. Maria Aparecida e posteriormente pela equipe de farmacêuticos, além da estrutura adquirida, a empresa passou a oferecer serviços diferenciados, integrando todos os elos da cadeia logística, do recebimento e armazenagem ao transporte e distribuição final.

"Hoje a empresa está instalada num prédio em Itapevi de 110 mil m2 totalmente climatizado, atendendo às diretrizes internacionais e nacionais de qualidade. Temos filiais em franca expansão em Santa Catarina, Rio de Janeiro e estamos construindo no interior de São Paulo e Recife", diz a dra. Maria Aparecida com orgulho da estrutura construída.

Bomi (Foto: Carlos Nascimento)

Para garantir que a qualidade de seus serviços se mantenha, a farmacêutica implantou programas de gerenciamento e autoinspeções. Busca constante atualização e cumprimento das legislações vigentes e os funcionários são periodicamente treinados. "O nosso grande desafio é continuar crescendo com o mesmo padrão de qualidade em todas as nossas filiais".

Os elevados níveis de controle e velocidade das operações é uma das preocupações da farmacêutica, sendo que a empresa utiliza tecnologia de ponta para realizar diversas atividades, inclusive um sistema que automatiza a armazenagem e agiliza a separação, reduzindo as margens de erros.

Carlos Nascimento