II Fórum Paulista de Farmacêuticos Homeopatas

II Fórum Paulista de Farmacêuticos Homeopatas debate os desafios do setor

 

São Paulo, 2 de junho de 2014

Com objetivo de resgatar fundamentos da prática homeopática e atualizar os farmacêuticos quanto aos desafios da profissão neste segmento, o CRF-SP promoveu no último sábado (31/05) o II Fórum Paulista de Farmacêuticos Homeopatas. Com a participação de profissionais do setor e da diretoria do CRF-SP, o evento foi realizado na sede da entidade, em São Paulo.

Dr. Pedro Menegasso e público do Fórum

Para o presidente do CRF-SP, dr. Pedro Menegasso, o Fórum é uma oportunidade para ampliar a discussão do dia a dia e para avançar ainda mais o setor no país. Ele ressaltou a importância da capacitação e atualização dos farmacêuticos que atuam na área para o aumento da credibilidade da homeopatia entre a sociedade e os outros profissionais da saúde.

“O grande desafio para a Farmácia Homeopática é vencer as barreiras dos céticos e, para isso, é necessário um trabalho sério e manter o foco na ciência”, diz dr. Menegasso.

Iniciando a rodada de palestras, a dentista homeopata, dra. Ana Elisa Padula, falou sobre os fundamentos da prescrição homeopática. Para isso, ela resgatou o histórico e apresentou as discussões mais recentes do setor. "É importante fazer um resgate filosófico para entender o sentido da homeopatia e entender o valor do farmacêutico para o avanço do setor".Dra. Ana Elisa Padula, dra. Estrela Fernandez, dra. Deusa Sobral e dra. Márcia Borges

A dra. Estrela Norah Fernandez abordou as diversidades de prescrições homeopáticas, apontando os principais desafios encontrados pelo farmacêutico no balcão ao se depararem com prescrições problemáticas, como a falta de cuidados e orientações, quantidade de medicamentos, vias de administração e legibilidade. "Nesses casos, o contato com o prescritor é muito importante para garantir a correta dispensação do medicamento e um melhor tratamento ao paciente", afirmou.

Dra. Deusa do Carmo Stippe Sobral abordou, durante a palestra, rastreabilidade de matrizes. Segundo ela, a rastreabilidade é um dos assuntos que dá suporte para a filosofia, técnica e estudos em homeopatia. “É a rastreabilidade que garante segurança ao farmacêutico, que pode sempre apresentar os dados sobre a origem e destino do produto".

A segunda parte do evento foi iniciado com a palestra da coordenadora da Comissão Assessora de Homeopatia do CRF-SP, dra. Márcia de Cássia Silva Borges, que alertou sobre os principais desafios em garantir a qualidade sobre as questões da água potável e purificada. "A água para uso farmacêutico tem que ter um perfil específico de acordo com a legislação vigente. É importante que o farmacêutico homeopata tenha muito claro que tanto a água como todos os ingredientes fazem parte do medicamento", disse.

Dr. dr. Ivan da Gama Teixeira, dr. Daniel Magano e dra Amarilys de Toledo Cesar

Para finalizar o evento, dr. Ivan da Gama Teixeira, dr. Daniel Magano e dra. Amarilys de Toledo Cesar apontaram os riscos sanitários do medicamento homeopático e debateram, em uma mesa-redonda mediada pela dra. Márcia de Cássia Silva Borges, as questões sobre a Farmácia Homeopata com os presentes.

“Para evitar os fatores de risco, os produtos homeopáticos devem primarem pela qualidade obedecendo dois pilares, o da segurança e o da eficácia”, ressaltou dr. Teixeira durante mesa-redonda.

Monica Neri
Assessoria de Comunicação CRF-SP