Cuidados farmacêuticos em pediatria e neonatal

 

CRF-SP promove palestra sobre cuidados farmacêuticos em pediatria e neonatal

 


São Paulo, 21 de julho de 2017.

O ciclo de palestras “Farmacêutico especialista”, idealizado pela Comissão Assessora de Farmácia Clínica, teve sequência na quarta-feira, 19/07, com o tema “Cuidados Farmacêuticos em Pediatria e Neonatal”, abordados pelas farmacêuticas do Hospital Infantil Sabará, na capital, Dra. Thais Alves Lopes e Dra. Paola Colaneri Donaire. As farmacêuticas mostraram o dia a dia de atividades clínicas dentro do hospital, em especial o trabalho com pacientes recém-nascidos e crianças. Destacaram a importância da orientação correta da família que tem um bebê internado, além das intervenções farmacêuticas como análise da prescrição, garantia do uso seguro do medicamento, identificação de interações e incompatibilidades, além de avaliar a magnitude e a gravidade dos efeitos relacionados ao uso de medicamentos. Farmacovigilância e erros de medicação também foram assuntos em debate com os participantes. 

Dra. Thais destacou que o papel do farmacêutico não é apontar erros na prescrição, mas mostrar caminhos para que o paciente tenha a melhor terapia. Ela também ressaltou os principais papeis do farmacêutico que atua na UTI como a orientação à equipe, acompanhamento farmacoterapêutico, detecção, monitoramento e documentação das reações adversas e erros de medicação, apresentação de alternativas terapêuticas mais seguras e disponíveis (ex: formulações manipuladas) e orientação para a família. Atualmente, no Hospital Infantil Sabará são analisadas cerca de 2 mil prescrições por mês, sendo 27% geram algum tipo de intervenção farmacêutica realizada pelas 15 farmacêuticas que atuam no hospital, 10 delas exclusivamente na farmácia clínica. 

Considerando-se a carência de medicamentos para uso em crianças, especialmente para as menores de dois anos, a prescrição de medicamentos off label tornou-se uma prática rotineira no âmbito hospitalar e ambulatorialJunto com os participantes que estavam na sede do CRF-SP, as farmacêuticas discutiram um caso clínico de uma criança e assistiram a um vídeo que mostrou o quanto o lado humano faz a diferença no tratamento. Dra. Paola enfatizou que os erros ocorridos podem ser prevenidos em qualquer uma das fases que envolvem prescrição, comunicação, embalagem, rotulagem, dispensação e distribuição.

Entre as principais estratégias para evitar os erros estão: treinamento contínuo da equipe, tabelas de diluição, manual farmacoterapêutico para consulta, sistema de prescrição eletrônica, além da padronização das concentrações e unidades de prescrição. Outro assunto debatido foi a quantidade de cardiopatias congênitas, que afeta de 8 a 10 bebês para cada 1000 nascidos vivos. Desses de 50 a 60% precisarão de cirurgia ainda na infância.

Especialmente na pediatria, os cuidados farmacêuticos são fundamentais já que as crianças possuem níveis reduzidos das proteínas totais no plasma – maior fração dos medicamentos, imaturidade hepática – toxicidade de alguns fármacos, crianças são mais susceptíveis aos efeitos adversos com mais frequência apresentam reações adversas, além do efeito danoso das tetraciclinas na formação dentaria e óssea e das fluoroquinolonas na cartilagem de crescimento. A próxima palestra do ciclo Farmacêutico especialista será sobre Disfunção renal e acontecerá em setembro. Acompanhe pelo portal.

Os participantes foram convidados a participarem das reuniões da Comissão Assessora de Farmácia Clínica do CRF-SP que acontecem toda terceira quarta-feira do mês às 17h30, na sede do CRF-SP. Saiba mais sobre a Comissão https://goo.gl/zTz2Dh 

 

Thais Noronha

Assessoria de Comunicação CRF-SP