IV Seminário de Acupuntura

 

Público lota auditório na capital durante o IV Seminário de AcupunturaSão Paulo, 8 de julho de 2015.

Devido à ampliação do número de farmacêuticos interessados na prática da acupuntura, o CRF-SP promoveu no último sábado, dia 4, por meio de sua Comissão Assessora de Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa, o IV Seminário de Acupuntura do CRF-SP. O objetivo do evento foi trazer novidades e debater sobre a atuação do profissional na área.

Na abertura do Seminário, o presidente do CRF-SP, dr. Pedro Menegasso, ressaltou que, ao mesmo tempo em que é uma prática milenar, a acupuntura traz uma abordagem sempre atual e em evidência como uma alternativa importante. "Nossa comissão reúne profissionais pioneiros nessa área de atuação, discutindo o assunto de forma séria e em favor da valorização do farmacêutico".

Dr. Pedro Menegasso (presidente do CRF-SP) e dr. Antônio Yoshinobo (Comissão Assessora de Acupuntura e MTC)

A acupuntura é uma terapia que reúne conhecimentos técnicos, teóricos e empíricos que, juntamente com a moxabustão, massagens e outras terapias, fazem parte da antiga Medicina Tradicional Chinesa. Para apresentar um panorama desses fundamentos, o Seminário contou com a palestra da Profª Ms. Simone Spadafora que abordou, entre outros aspectos, o conceito Yin e Yang. "Tudo o que existe pode ser classificado por meio desse conceito. Quando se trata um paciente pela visão do Yin e Yang, o que se busca é restabelecer a harmonia de ambos, que são opostos complementares".

Os aspectos técnicos da atuação profissional e a legislação na qual é respaldada foram tema da palestra "A prática farmacêutica da acupuntura", ministrada pelo dr. Edison Penachin. Ele detalhou como se dá o restabelecimento do paciente por meio do cuidado sobre a equilíbrio energético do indivíduo. Outra abordagem foi sobre o que a acupuntura denomina de diagnóstico energético e nosológico, além das técnicas alternativas ao uso da agulha, entre os quais a moxabustão, corrente elétrica, laser, magnetos (imãs), feixe luminoso e outros.

Profª Ms. Simone Spadafora e dr. Edison Penachin

Dr. Edison também abordou a legislação que rege a atividade profissional do acupunturista, entre as quais as Resoluções do CFF 353/00 e 516/09, além das portarias do Ministério da Saúde 971/06 e do Ministério do Trabalho e Emprego CBO 2294-25/13. “O farmacêutico acupunturista tem ferramentas para tratar o paciente antes da doença se estabelecer”, afirmou. “E, um dos desafios do setor, é que a acupuntura seja implementada no CAPS, pois, apesar de todos os resultados comprovados na área de atenção psicossocial, esse serviço ainda não é disponibilizado a esses pacientes da rede pública”.

Técnicas não invasivas

Com a popularização da acupuntura no Ocidente, houve o aumento da procura por tratamentos com base na Medicina Tradicional Chinesa, mas a fobia de agulhas por parte de alguns pacientes acaba sendo um fator que restringe essa terapêutica. Para falar das "Técnicas não invasivas da Medicina Tradicional Chinesa", o IV Seminário de Acupuntura do CRF-SP contou com a participação do dr. Cassiano Takayassu, que abordou, com demonstrações práticas, as técnicas utilizadas na restauração biomagnética, com o uso de fragmentos de cristais.

Profº Ms. Daniel Mendes e dr. Cassiano Takayassu

A programação do IV Seminário de Acupuntura do CRF-SP foi finalizada com a palestra Astrologia e Acupuntura, ministrada pelo Profº Ms. Daniel Mendes Netto, que mostrou a interrelação largamente estudada pelos chineses entre as técnicas da Medicina Tradicional Chinesa com a data de nascimento do paciente, de modo a obter melhores resultados na utilização da técnica empregada.

Dr. Cassiano Takayassu durante demonstração de técnicas de restauração bioenergética

Renata Gonçalez

Assessoria de Comunicação CRF-SP