VII Seminário de Acupuntura

 

Dr. Marco Cecchini realizou uma demonstração prática

Parte da Medicina Tradicional Chinesa, MTC, a acupuntura consiste na distribuição dos "Pontos de Acupuntura" ou "Acupontos" sobre linhas chamadas "meridianos", ou seja, canais por onde a QI (energia) circula, para obter diferentes efeitos terapêuticos conforme o caso tratado. A introdução à acupuntura foi destaque de uma das palestras do Dr. Marcelo Fernando Buzanelli, membro da Comissão Assessora de Acupuntura do CRF-SP. Ele enfatizou que o objetivo é restabelecer o equilíbrio energético do paciente e, por consequência, sanar o quadro da queixa.


Mostrou as diferenças entre os tipos de agulha, além de outras formas de estimulação dos acupontos por meio de moxabustão, corrente elétrica, lasr, magnetos, pastilhas de silício, feixe luminoso, dedos (Tuiná / shiatzu), ventosaterapia, fitoterapia chinesa, guasha, auriculoterapia e terapia alimentar chinesa. Ao farmacêutico que pretende entrar na área, é necessário ter especialização em uma instituição reconhecida pelo MEC e então estará apto a atuar no Sistema Público de Saúde, consultórios particulares, clínicas, ongs e também no magistério.

Dr. José Trezza Netto e dr. Marcelo Buzanelli

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Workshop casos clínicos: acupuntura japonesa, estética, auriculoterapia chinesa e francesa

Na sequência o workshop com casos clínicos foi o destaque. Dr. Marco Augusto Cecchini, membro da Comissão, falou sobre a acupuntura japonesa com demonstrações práticas em que com algumas perguntas e aplicações reorganizou a distribuição energética do paciente que se queixava de dor de cabeça. Ressaltou que essa técnica utiliza muito moxabustão e se caracteriza por ser um tratamento mais efetivo e indolor.

Com resultados surpreendentes que agem diretamente na devolução da autoestima ao paciente, Dra. Mara Lucia Tambarucci destacou as vantagens e objetivos da acupuntura estética. Entre os principais estão melhorar o tônus (deficiência de Pi), abrandar rugas e marcas de expressão (tonificar grupamentos flácidos –sedar grupamentos tensos), promover a drenagem linfática (Pi, Shen, Fei), favorecer o rejuvenescimento e aumento do viço da pele, ativar a circulação sanguínea, linfática e energética da pele (circular Qi, xue, jing ye), diminuir o tecido adiposo localizado, reduzir celulite, promover o emagrecimento, reduzir a calvície, além de favorecer a desintoxicação orgânica. “O objetivo é promover a beleza de dentro para fora alcançada pelo equilíbrio energético. As vantagens são o resultado duradouro e que não altera a expressão facial, agindo como um lifting natural, a ausência de anestesia, técnica menos agressiva à pele e tecidos, pode ser usado preventiva e corretivamente, além de ser mais acessível financeiramente”.

Dr. Marco Augusto Cecchini, Dra. Mara Lucia Tambarucci, Dr. José Ricardo Domingues e Dra. Elis Regina Marques

Também para falar do assunto, o Dr. José Ricardo Domingues chamou a atenção para a quantidade de água ingerida pelas pessoas, segundo ele, mais de 70% das pessoas não tomam a quantidade correta e, consequentemente, não propiciam condições para que o organismo trabalhe efetivamente. Dr. José Ricardo também falou da importância de equilibrar físico e psíquico para saber envelhecer com qualidade.

Outra técnica iniciada por Paul Nogier em 1950 durante um estudo para desenhar o mapa auricular foi a auriculoterapia. O tema foi apresentado pela Dra. Elis Regina Marques que detalhou o funcionamento da técnica chinesa que consiste na estimulação de pontos auriculares para ativar pequenas fibras nervosas mielinizadas que enviam impulsos causando a liberação de endorfina no sangue.

As principais indicações para utilização dessa técnica são tratamento de insônia; dores em geral; stress, depressão e ansiedade; tratamento para eliminação de vícios; redução de cansaço físico e psicológico e emagrecimento. Dra. Elis Regina também mostrou os benefícios da auriculoterapia como não ser uma técnica invasiva, maior aceitação por crianças e por quem tem medo de agulha, benefícios analgésicos, equilibrantes e relaxantes e trata os desequilíbrios em caráter funcional, neurótico e psicótico.

O coordenador da Comissão Assessora de Acupuntura do CRF-SP, Dr. José Trezza Neto, destacou a localização dos pontos de estímulo na orelha para falar sobre a auriculoterapia francesa. Ela é capaz de contribuir no combate à vícios, emagrecimento, ansiedade, depressão e muito mais.

O Seminário de Acupuntura reuniu farmacêuticos e estudantes de Farmácia

 

 

 

 

 

 

 

 

Workshop casos clínicos: métodos diagnósticos, craniopuntura e fitoterapia

O vice-coordenador da comissão, Dr. Carlos Alberto Kalil Neves mostrou as participantes dois tipos de métodos diagnósticos, o etiológico e o sindrômico. O primeiro visa identificar as causas externas nocivas à saúde e são influenciadas por fatores extrínsecos: climáticos, patogênicos, alimentação irregular, intoxicações e por fatores intrínsecos: humor do paciente, sua aparência, alterações de suas excreções, características de suas dores, de seu ritmo (menstruação, respiração, circulação, sono).

Já o diagnóstico sindrômico é a identificação do tipo de desequilíbrio que a influência nociva causa no corpo e este tipo de diagnóstico depende das observações do diagnóstico etiológico. Dr. Kalil ressaltou que a apalpação e a observação são características fundamentais para diagnóstico na Medicina Tradicional Chinesa, além do exame do pulso e da língua.

Padronizada mundialmente pela Organização Mundial de Saúde em 1989, a craniopuntura chinesa baseia‐ se na distribuição funcional do córtex cerebral; não há pontos, e sim áreas do escalpe localizadas sobre áreas funcionais do cérebro. A técnica japonesa, que foi abordada pelo Dr. Marcelo Buzanelli, utiliza o microssistema craniano para tratar as patologias do organismo.

Dr. Carlos Alberto Kalil e dra. Viviane Bergamo Morgero

Os participantes discutiram com Dr. Marcelo sobre um caso clínico que utilizou a craniopuntura. Uma mulher de 81 anos, que pratica atividade física duas vezes por semana se queixou de dor nas costas (lombalgia) tão forte que ela não conseguia deitar. Com anamnese, apalpação constatou-se a sensação de dor ao lado esquerdo→Cérebro, linha D e ponto D, e rim pela localização, usado também o ponto extra Shangbaxie - Louzhen (entre 2º e 3º metacarpos). O tratamento foi de 20 minutos e então, 80% da dor já tinha cedido. Após 20 sessões, a paciente teve alta.

A Dra. Viviane Bergamo Morgero encerrou o seminário mostrando a aplicação da Fitoterapia e a importância da identificação dos sintomas e sinais, características, evolução, gravidade, localização. Ela destacou a utilização de ervas isoladas, assim como fórmulas emergenciais para rinite alérgica, sinusite, resfriados, asma, inflamações, infecções, intoxicação alimentar, entre outros.

A farmacêutica falou sobre os tipos de formas farmacêuticas que constam na Farmacopeia como pós, grânulos, tabletes, hóstias, concentrados, decocção, colas, xaropes, cataplasmas, entre outras. “Se corretamente indicada, a fitoterapia chinesa não tem contraindicações, nem efeitos colaterais, pode ser prescrita por prescritores com formação em Fitoterapia Tradicional Chinesa e é indicada para todas as patologias clínicas”, finalizou dra. Viviane.

Thais Noronha

Assessoria de Comunicação CRF-SP