V Seminário de Acupuntura

A quinta edição do Seminário de Acupuntura foi marcada pela ampla diversidade de técnicas apresentadas pelos farmacêuticos. Destaque para as não invasivas como a moxabustão, que trata e previne doenças por meio da aplicação de calor em certas partes do corpo, muito utilizada pela combustão da erva Artemísia, além da fitoacupuntura e bioenergética.

Os palestrantes enfatizaram que na Medicina Tradicional Chinesa, o homem é considerado um sistema energético no qual corpo e mente são unificados, cada um influenciando e equilibrando o outro. Diferente da Medicina Ocidental que procura isolar e separar a doença da pessoa doente, a Medicina Chinesa enfatiza uma abordagem holística, em que o homem deve ser tratado como um todo.

Dr. Edison Penachin e dr. Marco Augusto Cecchini

O Conselho Federal de Farmácia reconhece o exercício profissional da acupuntura como especialidade farmacêutica, por meio da Resolução número 353/00. No entanto, desde a Portaria 971/06, do Ministério da Saúde, a prática foi inserida no SUS (Sistema Único de Saúde) com a aprovação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS e pode ser exercida por todos os profissionais da saúde, desde que a sua atuação seja regulamentada pelos seus respectivos conselhos federais profissionais.

Para exercer a atividade, o Conselho Federal de Farmácia exige que o profissional tenha obtido a titulação lato sensu de especialista nessa área complementar.

Uma das palestrantes, dra. Viviane Bergamo Morgero, destacou a necessidade de conhecimento em determinadas áreas para a prescrição na Medicina Tradicional Chinesa. “É fundamental aprimorar as maneiras de avaliar os sintomas e sinais, assim como conhecer a fundo a teoria Yin e Yang”, referindo-se às forças que percorrem e nutrem o organismo humano por meio de canais de energia chamados Meridianos.

Dr. Carlos Alberto Kalil Neves e dr. Marcelo Buzanelli

A Organização Mundial de Saúde reconhece que a acupuntura atua de forma eficaz em diversas patologias, entre elas: Tendinites, Depressão, Cefaleias, Enxaquecas, Gastrites, entre outras.

Além de atuar contra patologias, a acupuntura também tem se mostrado eficaz no tratamento estético. Sem efeitos colaterais não importantes, como hematoma e vermelhidão local, ambos passageiros, a acupuntura estética desponta como mais uma área de atuação ao farmacêutico. Dra. Elis Regina Santos, uma das palestrantes, particularmente não atende gestantes, apesar de não haver contraindicações na literatura. “Vale ressaltar que o profissional tem de tomar os devidos cuidados para não utilizar pontos que atuam como dilatadores do colo uterino e facilitadores da contração uterina”.

Dra. Viviane Bergamo Morgero, dr. Antonio Yoshinobo, dra. Mara Lúcia Tambarucci e dra. Elis Regina dos Santos

Entre as técnicas utilizadas estão: acupuntura sistêmica; laseracupuntura, eletroacupuntura, magneto acupuntura, ventosa e moxabustão, guashá, fitoterapia e cosmeto chinesa.

Dr. José Ricardo Domingues enfatizou o quanto é necessário conhecer sobre os hábitos de vida e alimentação do paciente antes de qualquer tratamento. Dra. Mara Lucia Tambarucci também ressalta essa questão. “A minha opção por acupuntura estética é proporcionar as pessoas uma melhor qualidade de vida, trazendo a beleza na forma de bem-estar e equilíbrio saudável. Recuperar a autoestima, traz um conforto emocional enorme para o paciente, resultando em benefício direto na sua saúde”.

Clique para saber mais sobre as Comissões Assessoras

Para fazer parte da Comissão de Acupuntura do CRF-SP entre em contato com o Departamento de Apoio Técnico e Educação Permanente pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Thais Noronha

Assessoria de Comunicação CRF-SP