XVIII Encontro Paulista

 

Dra. Patrícia Flora Mello (Rede Raia Drogasil) participará do XVIII Encontro Paulista de Farmacêuticos

 

Projeto foi iniciado em cinco unidades selecionadas para participarem do projeto-pilotoProjeto foi iniciado em cinco unidades selecionadas para participarem do projeto-pilotoSão Paulo, 10 de janeiro de 2018.

A experiência realizada em unidades da rede Raia Drogasil da capital que adotaram um modelo de consultório farmacêutico e atendimento clínico aos pacientes da farmácia será apresentada durante o seminário XVIII Encontro Paulista de Farmacêuticos - Consultório Farmacêutico Tendências e Oportunidades, a ser realizado no próximo dia 19, na capital, no auditório da Universidade Paulista (Unip) – Campus Vergueiro. 

A abordagem será feita dentro da programação do painel “Consultório Farmacêutico: como implantar”, e ficará a cargo da Dra. Patrícia Flora Mello, gerente de Consultoria Farmacêutica e Regulatório na Raia Drogasil, que tem participação ativa no Projeto de Serviços Farmacêuticos da rede.

Implementados há dois anos, os serviços disponibilizados no local incluem revisão de medicamentos, aferição de pressão arterial, glicemia, acompanhamento para parar de fumar e aplicação de injetáveis. Entre outubro de 2015 e dezembro de 2017, foram realizados mais de 15,4 mil atendimentos à população.

Segundo informações da rede, o projeto foi estruturado após o estudo das legislações que tratam dos serviços farmacêuticos, entre as quais RDC 44/09, Lei nº 13.021/14, Resolução CFF 585/13, entre outras. A partir disso, foram definidas quais seriam as cinco unidades selecionadas para participarem do projeto-piloto e providenciadas as licenças necessárias para a realização das atividades, entre outros detalhes.

Com base nos primeiros resultados da implementação dos serviços e das intervenções farmacêuticas, os profissionais atuantes nas unidades já puderam observar algumas características em comum nos pacientes atendidos, relata a Dra. Patrícia Flora Mello. 

“Grande parte dos pacientes portadores de doenças crônicas como hipertensão e diabetes não é aderente ao tratamento, tomando os medicamentos de maneira esporádica, somente quando há acentuação de alguns sintomas com apresentação de valores fora do parâmetro estabelecido da pressão arterial e glicemia; muito se dá devido à falta de conhecimento sobre a patologia. Nesse sentido, torna-se importante a intervenção do farmacêutico, pois ele não irá apenas verificar os parâmetros clínicos, mas sim interpretar os resultados dos testes realizados juntamente com as informações obtidas do paciente e verificar se existe algum problema relacionado à adesão, efetividade e segurança do tratamento, seja ele medicamentoso ou não”, afirma a farmacêutica.

Uma das principais dificuldades encontradas pela equipe é dar ciência à população sobre a existência de novos serviços prestados pelo farmacêutico, não se tratando de uma simples aferição de pressão arterial, mas sim de um atendimento personalizado com profissional dedicado. 

Valorização do farmacêutico

Dra. Juliana Rodrigues de Souza Stopa é farmacêutica clínica em uma das unidades que dispõem de consultório farmacêutico. Para ela, os serviços farmacêuticos são importantes para a carreira, pois contribuem para uma maior valorização do farmacêutico. “Acredito que esse atendimento diferenciado e humanizado contribui para a adesão e eficácia da farmacoterapia, proporciona um cuidado ainda maior com o paciente e auxilia na saúde pública do país. ”

Outro farmacêutico clinico da rede, Dr. Ricardo Pardinho Lopes da Silva destaca da contribuição da Lei 13.021/14 para o reconhecimento da profissão farmacêutica aos cuidados com a saúde. “Tem sido uma oportunidade importante para as drogarias, permitindo cuidar mais de perto dos clientes e fortalecendo ainda mais o elo do farmacêutico com o prescritor. Este serviço traz oportunidades para a atuação do farmacêutico, tanto na prevenção de doenças quanto na promoção da saúde das pessoas, agregando ainda mais valor ao profissional. ”

O presidente do CRF-SP, Dr. Marcos Machado, destacou o quanto que iniciativas como essa colocam a farmácia num patamar especial e diferenciado aos olhos da população. “Desde que a Farmácia Clínica tomou um rumo diferente e saiu do ambiente exclusivamente hospitalar, nós, do CRF-SP, esperávamos com ansiedade o surgimento de iniciativas como essa, e é uma alegria vê-las saindo do papel. A expectativa agora é ver essa tendência se popularizar. O paciente que vai à farmácia é quase sempre muito carente de informações, tem dúvidas diversas. Quando você consolida a orientação farmacêutica, melhora a adesão e todos ganham com isso. Convido os farmacêuticos paulistas a participarem do Seminário que o CRF-SP promoverá sobre o tema no próximo dia 19 de janeiro”. 

Casos clínicos identificados

Confira o relato de dois casos clínicos ocorridos durantes as intervenções:

1. Cliente diabética relata intensa coceira vaginal e que havia realizado tratamento com pomadas, porém sem sucesso. Ao realizar a medição da glicemia capilar, foi verificado resultado fora dos níveis normais. Geralmente, as mulheres diabéticas com altas taxas de glicose são mais propensas a apresentar infecções vaginais, de acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes. A paciente foi orientada sobre a relação do diabetes com as infecções vaginais e da importância do controle da doença para a eficácia no tratamento e também diminuir a recorrência das infecções. Conforme a orientação, a paciente passou em consulta com o médico que trocou o medicamento utilizado para o diabetes. Ao retornar para o acompanhamento farmacêutico, a taxa de glicemia havia diminuído e, segundo relato da paciente, a coceira vaginal havia parado. A cliente agradeceu muito e passou a realizar acompanhamentos constantemente.

2. Cliente do sexo feminino, 79 anos, alega ser diabética e estar com a boca seca e indo várias vezes no banheiro à noite. Foi mensurada a glicemia capilar e obtido o resultado 510 mg/dL pós-prandial. Ao ser questionada sobre a utilização dos medicamentos, mostrou não ser aderente ao tratamento, alimentação irregular e desconhecimento sobre o diabetes. A paciente foi orientada sobre o que é o diabetes, a importância de uma alimentação adequada, prática de atividades físicas e adesão do tratamento prescrito pelo médico. Nos retornos seguintes apresentou queda nos valores glicêmicos (386, 209, 132 e 119 mg/dL) até normalização dos valores de referência. Cliente ficou muito grata pelo atendimento recebido e realiza acompanhamento mensalmente.

 

XVIII Encontro Paulista de Farmacêuticos

Quando: 19/01 - das 8h às 16h30

 

Local: Auditório da Unip – Rua Vergueiro, 1211 – Paraíso – São Paulo

Programação completa e inscrições acesse http://bit.ly/2oiRl1a

 

 

Renata Gonçalez

Departamento de Comunicação CRF-SP

 

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS