Nota de esclarecimento à população

 

CRF-SP repudia postura corporativista defendida pelo CFM sobre vacinas em farmácias

 

CRF-SP repudia postura corporativista defendida pelo CFM sobre vacinas em farmáciasCRF-SP repudia postura corporativista defendida pelo CFM sobre vacinas em farmáciasSão Paulo, 21 de dezembro de 2017.

A aprovação pela diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da resolução que permite a qualquer estabelecimento de saúde realizar atividade de vacinação, incluindo as farmácias, é uma grande conquista para a população e para a saúde pública.

O CRF-SP vem propondo essa regulamentação desde a aprovação da Lei 13.021 em 2014, porque avalia que tal medida amplia o acesso da população a esse serviço e contribui com as políticas de vacinação do Ministério da Saúde.Diante disso, repudiamos veementemente a atitude recente do Conselho Federal de Medicina, que se posicionou contrário a essa conquista do povo brasileiro.

Acreditamos que tal iniciativa se reveste do mais puro caráter corporativista, uma vez que tenta, com argumentos falsos, assustar a população e, assim, tentar evitar o aumento da concorrência no setor de aplicação de vacinas, até então praticamente restrito a clínicas particulares, além do Sistema Público de Saúde. 

O CFM parece desconhecer ou desconsiderar a existência de outras profissões na área da saúde além da medicina. Se posicionam contrários inclusive a preceitos da própria Organização Mundial de Saúde, que preconiza a importância da atuação das equipes multidisciplinares de saúde no atendimento adequado e eficiente à população. No momento em que o sistema de Saúde no Brasil passa por imensas dificuldades, criar barreiras para que a população tenha acesso facilitado às vacinas por questões corporativistas não contribui para melhorar a qualidade de vida da população. 

O Farmacêutico, assim como outros profissionais na área de saúde, é um profissional plenamente capacitado para executar e supervisionar esse serviço. Todas as farmácias são obrigadas, por lei, a ter a presença de pelo menos um farmacêutico durante todo o período que estão abertas ao público.

As farmácias já prestam serviços de aplicação da mais diversa gama de medicamentos injetáveis em ambientes adequados, que sofrem constante e intensa fiscalização da Vigilância Sanitária, e deverão ainda realizar todas as adequações necessárias solicitadas pela Anvisa para serem autorizadas a executar esse serviço com qualidade e total segurança.  Para O CRF-SP, a resolução da Anvisa, uma vez mais, consolida a Farmácia como estabelecimento de Saúde em todo o País.

Qualquer tentativa de reduzir o acesso da população ao serviço de aplicação de vacinas é um atentado contra a saúde da população brasileira e merece nosso absoluto e total repúdio.  

 

Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo – CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS